30/11/2020

Eu matei o Libório

Esse é o drama de um rapaz que descobre que a única forma de conseguir uma vida normal e feliz é matando o Libório. Um jovem politicamente correto e de bom coração. Exagero? Decisão precipitada? Aaaaah... Você não conhece o Libório.

COMPRAR

30/11/2020

Grump

No mundo permeado por narcisos bombados e metrossexuais, Grump é um quasimodo pervertido, quebrando espelhos e esperando a miraculosa sorte sorrir-lhe. Mas ela é uma deusa gostosa, altiva, poposuda e arrogante. Pisa sem piedade no pobre Grump. E ele insiste em continuar. Por quê?

COMPRAR

23/04/2020

Piu e Phiu

22/04/2020

Na altura do joelho

Sobre reações diante do indesejável. As perdas e prejuízos e como o Covid afeta a vida das pessoas. Tem um livro do Tolstói chamado Anna Karénina. A primeira frase do livro está entre as melhores e mais importantes já publicadas na literatura universal. “Todas as famílias felizes são iguais, cada família infeliz, é infeliz a sua maneira”. O fato é que ninguém quer que o indesejável bata em sua porta. Mas quando bate, vai mexer com sua vida, quer queira, quer não. Não consigo deixar de fazer uma analogia com a experiência que eu tive no Hospital de Câncer. Poderia citar fácil uma meia dúzia de casos em que o indesejável pulou com os dois pés no peito de algumas famílias, a minha inclusive. A primeira reação é negação. “Não é tudo isso não”, “Esse médico está louco”… Aí o tempo passa e você percebe que não tem muita escolha a não ser olhar na cara do indesejável e tentar fazer o seu melhor. Aquilo que você perde só tem importância quando você acha que a situação não pode piorar. Quando piora, você deseja de coração voltar à fase anterior. Uma vez, conversando com um pai, ele estava lamentando a amputação da perna do filho, mas não a amputação em si, estava triste porque imaginou que se tivesse feito antes, a amputação poderia ser menos agressiva (a amputação foi perto da cabeça do fêmur, perdeu a perna toda), se fosse perto do joelho, dizia ele, uma prótese daria uma mobilidade melhor etc etc etc. Mas ele demorou, não queria, tentou tratamentos alternativos… No final, não tinha mais como adiar e a solução era tirar tudo. Sinceramente, nem sei se ele estava certo ou se não tinha muito o que fazer mesmo, o fato é que antes ele não queria amputar nada, depois subiria de joelhos as escadarias da Igreja da Penha para ver seu filho com uma prótese na altura do joelho. Mas por que estou falando isso? Penso que, no caso do Covid, a amputação é inevitável. As ações tomadas pelas lideranças e especialistas, junto com a forma que a população vai acatar isso tudo, é que vão determinar se será na altura do joelho ou não. Isso inclui tudo, salvar vidas, cuidar da economia e, claro, não deixar o sistema de saúde entrar em colapso. Infelizmente o país está confuso, de um lado pessoas que minimizam o problema e querem um basta na quarentena para não prejudicar a economia, do outro pessoas que preferem seguir as orientações de prevenção para evitar um mal maior, mesmo sabendo que isso terá um custo. Qual o melhor caminho? Independente da preferência de cada um diante desse impasse, a única certeza que eu tenho é que a esmagadora maioria não possui um mínimo de informação necessária para contribuir intelectualmente com essa decisão. O melhor que se pode fazer é ter plena consciência da própria ignorância para esse assunto. Parece pouca coisa, mas não é. Quem sabe que não sabe, não cria ruído e não atrapalha àqueles aptos a fazer uso do conhecimento específico disponível para direcionar as ações. Só eles estão a par das infinitas variáveis e suas possibilidades. Conhecem a estrutura (financeira, pessoal e material), disponível para lidar com isso, bem como toda a deficiência da saúde pública e demais problemas sociais do nosso país. Então a pergunta nunca foi "qual" mas "nas mãos de quem" eu devo apostar e confiar para escolher e tomar essa e outras decisões. Ciente da minha ignorância no assunto, procuro contribuir apoiando àqueles que, baseados em ciência, estudos e informações reais, têm uma mínima condição de apontar uma luz e achar um caminho para isso tudo. De preferência, na altura do joelho. Orlandeli 22/04/2020
21/06/2019

“(SIC)” 

21/06/2019

CCXP Tour – Recife

08/10/2017

Santos Comic Expo

 
07/09/2017

Junta Geek – Ribeirão Preto 08 e 09/09/17

E nesse final de semana estaremos em Ribeirão Preto participando do Junta Geek, evento que promete marcar presença no calendário nerd do interior paulista. Levando na bagagem O mundo de Yang, Sic, Daruma, Grump, Arvorada... Além de prints e outros trecos. Irá também participar de um bate papo no sábado junto do Ricardo Barbieri e Adilson Terrível sobre produção autoral fora dos grandes eixos. Programação recheada com vários artistas convidados. Entra no site para conferir www.juntageek.com.br. É sexta e sábado agora. Espero todos lá!!! #juntageek #nerd #Quadrinhos #orlandeli
18/06/2017

Exposição em Campinas e São José do Rio Preto

No mês de junho temos duas exposições, ambas com o título "A Narrativa gráfica do Orlandeli", mostrando as várias fases da sua carreira como quadrinista. A primeira começou dia 02 e vai até 30 de junho, em Campinas, SP, na Biblioteca Pública "Professor Ernesto Manoel Zink", Av. Benjamin Constant, 1633. A outra será em São José do Rio Preto, SP,  no Rio Preto Shopping Center, Avenida Brigadeiro Faria Lima, 6323, em frente à Livraria Saraiva. A abertura é dia 23, a partir das 19h, com presença do Orlandeli que estará autografando a nova Graphic MSP "Chico Bento - Arvorada", além das suas outras publicações. Todos os títulos estarão sendo vendidos na Saraiva,  caso já tenha seu exemplar, é só levar lá e participar do evento.