Cartunista, quadrinista, chargista e ilustrador, Walmir Américo Orlandeli nasceu em 1974 na cidade de Bebedouro, interior de São Paulo.

Em 1994, iniciou sua carreira nas páginas do jornal Diário da Região com a tira “Violência Gratuita”.

Em 2002 lançou a revista “Grump”, que lhe rendeu o troféu HQMIX de melhor revista de humor.

Participou de várias edições do álbum Front, publicado pela editora Via Lettera, com histórias em quadrinhos e contos.

Em 2008, criou a tira “(Sic)” vencedora do primeiro lugar no Salão Internacional de Humor de Piracicaba.

Em 2009, foi convidado a participar da obra MSP50.

Em 2010, lançou um álbum com a compilação das tiras “(SIC)”, a obra foi uma das contempladas pelo programa Proac Quadrinhos.

Em 2013, foi convidado a participar da obra “Monica´s”.

Ainda em 2013, publicou “Eu matei o Libório”, de forma independente.

Em 2014, lançou a compilação de tiras “Grump – Naqueles Tempos, 20 anos de histórias” em comemoração aos vinte anos de publicação do personagem.

Em 2015, criou “O mundo de Yang”, websérie publicada semanalmente e que foi reunida em livro no final do mesmo ano.

Em 2016, lançou a graphic novel “Daruma”, obra contemplada pelo Proac, e as coletâneas “Grump – Um dia eu chego lá”, “(Sic) vol 1 – Sim, eu posso ver... Eu acho” e “(Sic) vol 2 – É... Olhando assim faz sentido”.

Em 2017, foi convidado para reinterpretar o personagem Chico Bento, de Mauricio de Sousa, para o selo Graphic MSP, que resultou no álbum "Chico Bento – Arvorada", vencedor do troféu HQMIX.

Ainda em 2017, lançou o álbum “O Sinal” (Indicado ao prêmio Jabuti de literatura), pelo selo Jupati, da Marsupial Editora.

Em 2019 publicou a HQ "Os olhos de Barthô" e também "O mundo de Yang - Rumo ao Sul".

Como ilustrador publicou em vários veículos, como: jornal Folha de São Paulo, revistas Mundo Estranho, Saúde, Época, Superinteressante, entre outras.

Ganhador de vários prêmios nacionais e internacionais.